19/12/09

Um poema

Este poema (se é que é isso que lhe querem chamar) já foi feito à algum tempo, num momento em que estava mesmo muito confusa com tudo o que se estava a passar à minha volta e com o desaparecimento da minha cadela... (podem ver o blog aqui)
E pronto foi um momento um pouco... "dramatico" e saiu-me isto... espero que não esteja assim tão mau...

Dúvida

Uma rua deserta
Entregue à perdição
Onde nada desperta
Da perigosa tentação

Um sitio sem vida
Em tons de cinzento
Onde não há saída
Onde não há movimento

É assim a duvida
Que persegue como uma sombra
Que azeda a vida
Tão depressa como uma onda

E nas palavras com melodia
Se esconde a dor da emoção
Isto que eu escrevo é poesia
Que são as lágrimas do coração

Lagrimas pela duvida
Quem me aflige o pensamento
Angustia pela memoria vivida
Que me persegue a todo o momento

E quando a felicidade
Vem para encantar
Volta a duvida, sem dignidade
Para muitos assombrar

Tanta gente que pergunta:

Para quê duvidar?
Talvez o mal é não saber:
Que por muitas voltar que a vida vá dar
Existem coisas que nunca nos vão pertencer

E a folha morta que cai no frio chão cinzento
É como uma alma que se perde
Na duvida, a rua sem movimento

Ok... só agora é que percebi que isto esta ridículo...--'
Não faz mal, pelo menos tento escrever algo de jeito não é? Obrigada a quem teve a paciência de ler, por favor comentem dando opiniões, criticas, o que quiserem, e até outro dia!

2 comentários:

  1. Ahahah, a figurinha de parva que eu fiz a tentar encontrar o sítio onde comentar...não ligues ao nome, ta completamente parvo, so criei mesmo a conta para poder comentar o teu blog por isso vê se te mostras agradecida xD (acho que até criei um blogue que não vai servir para nada - pelo menos por enquanto - so para criar a conta xD)
    Fizeste bem em criar um blogue. E a sério, não acho que o poema esteja nada ridículo, tá mesmo bem escrito e ta...lindo? 'Mostra-te' bem. Tens imenso jeito, sempre tiveste ;D
    Por isso podes continuar que eu venho cá cuscar...:P

    ResponderEliminar